O negócio do "hip-hop" em Livro

The Big Payback”, de Dan Charnas, conta história de como o “hip-hop” se transformou num negócio lucrativo.
As fortes quebras registadas nos últimos anos nas vendas de discos têm sido decisivas para colocarem os gigantes da outrora lucrativa indústria da música em graves apertos financeiros que ameaçam a sua viabilidade. Esta semana, o Citigroup tomou conta da EMI, onde estão catálogos tão importantes como o dos Beatles.

 Mas ainda antes de o sector ter de enfrentar esta crise de sobrevivência provocada pela era digital e pela disseminação dos "downloads" gratuitos e ilegais, a área específica da música "hip-hop" já era um sorvedouro de dinheiro que não conseguia gerar retorno para quem nele apostava dinheiro.

A história de como o "hip-hop" utilizou ferramentas de "marketing" que ajudaram a rendibilizá-lo é o tema do livro de Dan Charnas, "The Big Payback: The History of Business of Hip-Hop". O autor, colaborador da revista "The Source", refere os milhões que, pelo início dos anos 2000, eram gastos na produção de "video clips", por exemplo, sem que as editoras fizessem contas aos investimentos.

Casos sucessivos de operações ruinosas acabaram por dar lugar a estratégias que, a partir da música e dos seus intérpretes, permitiram vender roupa e todo um estilo de vida que se transformou num negócio atraente.

Artigo públicado no Jornal de Negócios

Partilhar
Google+